Review: God of War

Por: André Breder Rodrigues

Ficha Técnica:

Ano de lançamento: 2005
Produtora: Sony
Gênero: Ação
Número de jogadores: 1

Introdução

Falar que God of War é um dos melhores jogos lançados para o PlayStation 2 é “chover no molhado”, mas seria até mesmo um sacrilégio eu não falar deste game aqui neste blog. Lançado em 2005 este game serviu para mostrar que definitivamente o 128 Bits da Sony estava longe de sua aposentadoria! Quem pensava que o PlayStation 2 já não teria como surpreender ninguém, teve que rever seus conceitos frente a um game tão inteligente, viciante, sangrento e épico como God of War!

A história do jogo

God of War mostra a história de Kratos, um guerreiro originário de Esparta, que acabou se tornando uma verdadeira “arma letal de guerra” nas mãos dos deuses do Olimpo.

Kratos busca esquecer seu passado maldito, que o assombra todas as noites, e para isso ele aceita a proposta da deusa Athena, que promete livrá-lo de seu tormento caso o guerreiro seja capaz de derrotar Ares, o deus da guerra.

No decorrer do jogo o passado de Kratos vai aos poucos sendo revelado ao jogador, que passará a entender como ele se tornou ao mesmo tempo um ser temido e odiado pelas pessoas.

O segredo do sucesso!

Talvez o segredo do sucesso de God of War junto aos jogadores seja seu inteligente equilíbrio entre os momentos de ação pura; onde o jogador terá o “prazer” de estraçalhar e desmembrar seus inimigos; e entre os momentos onde haverá a necessidade de raciocínio; onde o jogador terá que resolver alguns puzzles para continuar a aventura.

Ou seja, ao mesmo tempo que God of War não é mais um simples jogo de ação, ele também não é um jogo chato cheios de puzzles complicados para resolver.

Estraçalhando seus inimigos e sendo recompensado por isso!

A matança que ocorre em God of War é duplamente necessária para ajudar na sobrevivência de Kratos: primeiro, lógico, ele tem que se defender de seus inimigos; segundo que cada inimigo derrotado recompensará o guerreiro com suas almas.

No jogo são três tipos de almas que podem ser coletadas por Kratos após o espartano aniquilar um inimigo: as vermelhas, que servem para aumentar os níveis das armas e poderes; as azuis, que servem para restaurar a barra de poderes; e as verdes, que restauram a vida do guerreiro.

Vale lembrar que todos os três tipos de almas também poderão ser encontrados em báus, sendo que as vermelhas também poderão surgir ao se quebrar objetos no cenário do game.

Se tornando mais poderoso!

De início Kratos terá golpes mais simples, ainda que mortíferos, mas em pouco tempo ele já poderá melhorar o nível de suas armas e poderes, podendo desferir combos devastadores e lançado magias mortais em seus oponentes!

Os poderes de Kratos no jogo são conseguidos, em grande parte, por uma “ajudinha” que ele recebe de alguns deuses: do deus dos mares ele recebe o “Rage of Poseidon”, que é uma terrível tempestade elétrica bem útil para atacar grupos de inimigos; do deus do submundo ele ganha o “Army of Hades”, uma magia que convoca uma série de almas do inferno para destruir os inimigos; e do deus dos deuses ele recebe o “Zeus´Fury”, que faz com que Kratos possa lançar bolas de energia pelas mãos e podendo assim acertar inimigos a distância com grande facilidade.

Existe também um poder que Kratos recebe no jogo por meio de uma luta épica entre ele e a mitológica Medusa: ao vencer, o “Fantasma de Esparta” passará a carregar a cabeça do inimigo como se fosse um “troféu”, e com ela poderá lançar o raio petrificante de Medusa em seus inimigos.

Acha que acabou? Não, mesmo! Kratos ainda irá ganhar em sua aventura o “Rage of the Gods” poder capaz de deixá-lo ainda mais poderoso e mortífero contra seus oponentes! Um guerreiro que tem a difícil missão de desafiar e vencer um deus não poderia ir pro campo de batalha de mãos nuas mesmo…

E se no campo da força bruta e dos poderes divinos Kratos tem uma grande lista de aprimoramentos a sua disposição, ele não poderia também deixar de melhorar seus pontos de vida e de magia: durante a jornada rumo a batalha contra Ares, Kratos poderá encontrar alguns itens especiais, como o “Gorgon Eyes” que, quando o guerreiro acumular o número de seis destes olhos, fará com que sua energia vital cresça. Há também o “Phoenix Feather”, que funciona da mesma forma que o “Gorgon Eyes” só que neste caso as raras penas fazem crescer a barra de magias de Kratos.

Gráficos e Sonoridade

Os gráficos de God of War são um verdadeiro colírio para os olhos: dos cenários gigantescos e cheios de detalhes, até as criaturas horripilantes do game, tudo foi feito usando o máximo dos recursos gráficos do PlayStation 2!

O design de Kratos está muito bacana: o guerreiro “pouco telha” tem uma aparência truculenta e tenebrosa ao mesmo tempo, e mantém um olhar sério e frio praticamente durante todas as belas cut-scenes do jogo.

A animação dos personagens está perfeita: muitos dos movimentos de Kratos, por exemplo, são tão parecidos com os de um ser humano, que o jogador pode até mesmo em dados momentos do jogo achar que está diante de um filme com atores de carne e osso, e não diante de um game!

A sonoridade também não poderia ficar atrás: os efeitos sonoros estão todos totalmente condizentes com cada aspecto do game, e passam um sentimento de “realidade” enorme! Já no início do game o jogador irá sentir isso!

Os monstros de jogo possui cada qual seu rugido e alguns são tão tenebrosos que podem até dar medo! O primeiro chefe do game então, com seu grito estridente é de arrepiar qualquer um!

A trilha sonora de God of War é uma das melhores que já pude escutar em um game, sem exagero nenhum! Todos os temas possuem um clima épico, grandioso, que faz com que o jogador sinta ainda mais prazer ao jogar este grande game!

Cada parte do jogo possui uma música que casa de maneira perfeita com o que está acontecendo com o guerreiro de Esparta, ajudando a ditar o clima da aventura de maneira perfeita! Destaque para os corais de vozes presentes na maioria das trilhas e que acabaram se tornando uma marca registrada da franquia, já que os jogos posteriores com Kratos mantiveram o mesmo padrão de qualidade apresentada no primeiro, e claro, com os corais atuando de forma magistral nas músicas!

Jogabilidade e Dificuldade

A jogabilidade do game não poderia ser melhor! Todos os comandos fluem de maneira perfeita e com muita precisão. Jogadores mais habilidosos poderão criar combos que podem chegar ao espantoso número de 1.000 hits!

Kratos é bem ágil: pode avançar ou recuar de maneira rápida, escalar superfícies, caminhar sobre precipícios, empurrar objetos, nadar, se defender de ataques, etc. Ou seja, habilidades e comandos é o que não faltam ao guerreiro de Esparta!

Em dados momentos do game, principalmente na hora de enfrentar chefes e sub-chefes, o jogador terá que seguir alguns comandos que surgirão na tela. Chamados de “Quick Time Events”, estes momentos serão cruciais para vencer os oponentes de maneira mais rápida, sendo que em relação a alguns chefes, o jogador será obrigado a cumprir de maneira correta todos os comandos para derrotá-los. Cumprir os “Quick Time Events” não é uma tarefa tão simples: o jogador deve manter a devida atenção e concentração no game para não errar e ter que começar toda uma sequência novamente! Jogadores mas habilidosos podem até mesmo não ver dificuldade na execução dos “Quick Time Events”, mas os mais casuais poderão sim, enfrentar algumas dificuldades. Mas a dificuldade da realização deste evento do game não se deve a algum problema na jogabilidade, o lance é que algumas sequências aparecem mesmo de maneira muito rápida na tela, e se o jogador não for rápido o suciente tanto com os olhos quanto os dedos, vai errar mesmo.

A dificuldade de God of War varia de acordo com a escolha do jogador: há 3 modos de dificuldade que podem ser escolhidos antes de iniciar o game (Easy, Normal e Hard), sendo que o quarto modo (God Mode) só pode ser habilitado após vencer o jogo pelo menos uma vez no nível Hard.

Apesar da dificuldade do jogo ser crescente, God of War não é um daqueles games impossíveis. Mesmo o jogador praticamente ser “obrigado” a ver várias telas de “game over” durante uma jogatina em God of War por causa do nível de dificuldade do game, a possibilidade de continues infinitos acabam ajudando a amenizar esta dificuldade, já que até mesmo jogadores menos habilidosos poderão repetir a exaustão aquela parte que estejam morrendo, até serem capazes de vencê-la e continuar sua progressão na trama do jogo. Somente mesmo jogadores mais impacientes poderão considerar God of War como sendo um game realmente difícil, ou então pessoas que estejam jogando em um nível de dificuldade que não é condizente com sua habilidade como jogador.

Os quebra-cabeças do começo do game serão moleza, e mesmo os finais, que irão exigir um pouco da “massa cinzenta” dos jogadores, não serão tão difíceis de serem batidos. Cada chefe do game possui uma estratégia a ser seguida para que ele seja efetivamente eliminado, mas também não é nada tão complicado quanto possa parecer de início, já que os já mencionados continues infinitos permitem que o jogador possa passar o tempo que quiser tentando vencer um chefe do jogo até conseguir.

Jogadores mais habilidosos que terminarem o jogo no God Mode ainda poderão habilitar alguns bônus em God of War, que eu não irei revelar aqui para evitar spoilers, claro.

Conclusão

God of War foi o tiro certeiro de mais uma franquia de enorme sucesso no mundo dos games! Apesar de ainda ser muito recente, já é considerado por muitos como um game clássico, que será sempre lembrado pelos jogadores que tiveram a oportunidade de jogá-lo!

O seu protagonista Kratos, praticamente do dia para a noite, se tornou um dos personagens mais populares no universo gamer, tudo graças as qualidades encontradas no primeiro God of War! É um “jogão” que todo dono de um PlayStation 2 tem obrigação de ter jogado!

15 Responses to “Review: God of War”


  1. 1 Kratos Imortal abril 10, 2009 às 10:55 am

    O que falar de God of War! Ele é o meu jogo preferido do PS2! O segundo também é ótimo, mas o primeiro me marcou para sempre! Não é por acaso que meu nick é “Kratos Imortal”! God of War Forever!!!!

  2. 2 Sérgio abril 10, 2009 às 4:30 pm

    André, que excelente review! Super completo e bem ilustrado.

    Realmente God of War é um jogo e tanto. Eu relutei um pouco para me render ao encanto desse jogo – só vim jogá-lo depois de 3 anos do seu lançamento e me surpreendi com a qualidade do jogo. Cenários grandiosos, com grandes detalhes e uma histórica épica que será lembrada por todos que o jogaram.

    O jogo é tão bom que na época que o fechei, emendei com o 2 em uma semana de jogatina intensa com o “Fantasma de Esparta”.

    Parabéns pelo review😉

  3. 3 André Breder abril 10, 2009 às 7:02 pm

    Agradeço aos camaradas Kratos e Sérgio pelos comentários!

  4. 4 Inugami abril 12, 2009 às 2:52 pm

    E eu achava que Devil May Cry era o máximo de “fodoleza” em um personagem…

  5. 5 André Breder abril 12, 2009 às 7:55 pm

    Dante é um personagem foda, ms Kratos é mais foda ainda (as peitudas que aparecem no game que o digam… uahuahuahuahua)!

  6. 6 Samuel Batista abril 15, 2009 às 12:51 am

    Eu acho que eu sou o único indivíduo que não conseguiu gostar de God of War, e olha que eu insisti bastante no jogo! Não sei se foi o excesso de hype ou foi pura falta de apego à mitologia do jogo!

    Não posso negar que God of War foi um puta marco na história do PS2 e que ele fez muito bonito quando comparado às outras franquias, mas se tem uma que eu bato no peito e digo que é mais foda do que God of War é a série Ninja Gaiden!

  7. 7 João Cláudio abril 22, 2009 às 1:00 pm

    God of war é O JOGO! Ninga gaiden é bom, mas não é melhor que God of war nem aqui nem na china!

  8. 8 Kratos Imortal abril 22, 2009 às 1:13 pm

    Ninja Gayden melhor que God of War??? Nunca! O Kratos arrebenta aquele ninja boiola lá com as duas mãos amarradas!

  9. 9 Alex Souza abril 22, 2009 às 2:45 pm

    god of war 1 é muito bom mas o segundo é melhor ainda!

  10. 10 Paula Tejano Moreira abril 23, 2009 às 11:18 am

    God of War II = Melhor game do PS2! Espero por um review deste.

  11. 11 André Breder abril 23, 2009 às 6:55 pm

    Paula… achei “interessante” a junção do seu primeiro nome com seu primeiro sobrenome… uahuahauhauaha… é cada uma viu…

  12. 12 André Breder abril 23, 2009 às 6:56 pm

    Ah, e quanto ao review do God of War II ele já está a caminho! Aguarde!

  13. 13 The Killer abril 25, 2009 às 10:04 pm

    god of war 1 junto com o 2 são os melhores jogos do ps2!

  14. 14 laylson julho 18, 2009 às 11:26 pm

    so que e dificil d+ tambem mais gostei ,muito bom jogo

  15. 15 Thiago setembro 7, 2009 às 10:51 pm

    eu to tentando passar a fase que aparece um monte de pedras de fogo rodando e não sei oque fazer??
    ate que tem uma estauta do minotauro iluminando ate as pedras.
    alguem pode me ajudar ae por favor!!!!!!!!!!!!!!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




PlayStation 2 Imortal

Venha relembrar aqui os grandes clássicos do 128 bits da Sony!
abril 2009
D S T Q Q S S
« mar   maio »
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Blog Stats

  • 286,907 hits

%d blogueiros gostam disto: