Archive for the 'Games que terminei' Category

Games que terminei: Devil May Cry 3

Por: André Breder Rodrigues

Desde o último 16 de Agosto comecei a jogar de forma esporádica o eletrizante game Devil May Cry 3 – Dantes Awakening – Special Edition, e hoje um pouco antes do meu almoço, consegui terminá-lo mais uma vez. Se você ainda não jogou este game, não perca mais tempo e jogue! Se curte games alucinantes de ação vai adorar jogar Devil May Cry 3!

Para quem já terminou este jogo e quer dar uma relembrada de como é o seu final, abaixo segue o vídeo do mesmo, com legendas em português:

Anúncios

Games que terminei: Yakuza 2

Por: André Breder Rodrigues

Um game que tive o prazer de terminar recentemente (para ser mais preciso ontem a noite) foi o Yakuza 2, da lendária SEGA. Eu já havia me divertido muito com o primeiro game desta série, mas o segundo conseguiu me entreter ainda mais!

Yakuza 2 mostra a continuação da saga do destemido e bom de briga Kazuma Kiryu, e conseguiu ter uma história ainda melhor que a encontrada no jogo original. A trama está muito maior, e cheias de surpresas e reviravoltas, que predem a atenção do jogador do começo ao fim. Quem jogou o primeiro, sabe que ele é como se fosse um filme de ação, e o segundo continua seguindo esta fórmula, mas consegue obter um resultado ainda melhor.

Em termos técnicos Yakuza 2 traz gráficos levemente melhores se comparado ao game anterior, que já tinha o mérito de ter gráficos excelentes! Agora é em relação aos controles que tudo está muito, mas muito melhor: agora você pode de maneira hábil lutar e “descer a porrada” em um grupo inteiro de marginais, podendo atingir vários ao mesmo tempo dentro de uma mesma sequência de golpes. A câmera recebeu melhorias, deixando os combates muito mais empolgantes!

Foram um pouco mais de 16 horas para completar todos os 16 capítulos de Yakuza 2, ou seja, não é um jogo longo, mas também não é curto. Eu diria que é um game que diverte até o fim, e se você jogou o primeiro Yakuza mas ainda não colocou as mãos no segundo, vá logo atrás deste grande game do imortal! Tenho certeza que não irá se arrepender!

Games que terminei: Final Fantasy X-2

Por: André Breder Rodrigues

Final Fantasy X é um dos meus RPGs favortiros do PlayStation 2, logo fiquei bem motivado em jogar sua sequência direta, mesmo ouvindo e lendo que o famigerado Final Fantasy X-2 não era lá essas coisas. Exatamente no dia 8 de Novembro do ano passado comecei a jogar este game todos os dias que consegui. De cara já se via que ele era bem diferente do original, mas mesmo assim fui jogando-o, até terminá-lo recentemente.

Um ponto positivo que Final Fantasy X-2 tem, sem dúvida nenhuma, são suas batalhas em “Active Mode”, que deixa tudo muito mais dinâmico durante os combates. A possibilidade de trocar as classes das personagens na hora que bem entender também é outro ponto bacana. Agora o ponto fraco de Final Fantasy X-2 é a sua história: muito, mas muito fraca! E pra piorar o game tem umas missões bem bobinhas, algumas eu diria que são até bem infantis, o que pode fazer com que RPGistas mais sérios até parem de jogar este game.

Foram mais de 40 horas jogadas e no fim atingi uma porcentagem de 82% no game. Sim, este RPG possui um contador de porcentagem! Desde o início não quis fazer 100% pois, como já citei antes, nele existem algumas missões tão ridículas que eu de imediato me recusei a tentar cumprí-las.

Final Fantasy X-2 não chega a ser um jogo horrível como muitos “cospem” por aí, mas é sem dúvida o Final Fantasy mais fraco que já joguei. Compará-lo com outros clássicos da franquia chega a ser covardia!

Games que terminei: Zone of the Enders – The 2nd Runner e Metal Gear Solid 2

Por: André Breder Rodrigues

Recentemente tive o prazer de jogar até o fim dois excelentes trabalhos do mestre Hideo Kojima: o primeiro deles foi Zone of the Enders: The 2nd Runner, que conseguiu ser bem melhor do que o primeiro game desta série, com missões mais variadas e novas armas para o mecha Jehuty. No entanto, Zone of the Enders: The 2nd Runner é quase tão curto quanto o primeiro, pois demorei 5 horas e 57 minutos de jogatina para conseguir chegar ao final dele (sendo que eu levei apenas 25 minutos a menos para terminar o primeiro Zone of the Enders).

Achei bacana o fato de The 2nd Runner ser mesmo uma sequência direta do primeiro, sendo praticamente obrigatório jogar o Zone of the Enders original para entender a história do segundo episódio com mais clareza. Mesmo ele trazendo um novo protagonista chamado Dingo Egret, muitos fatos que ocorrem em The 2nd Runner são estritamente ligados com o que foi mostrado no primeiro jogo. Até mesmo o protagonista do primeiro jogo da série, Leo Stenbuck, aparece e torna-se um grande aliado para o novo “runner” de Jehuty.

A segunda obra-prima de Kojima que terminei recentemente foi o clássico Metal Gear Solid 2 – Sons of Liberty, que eu já havia terminado antes no ano passado, mas por causa de se tratar de um game realmente excelente, deixei de lado até mesmo alguns games que estou jogando pela primeira vez, para poder reviver a aventura de Raiden! Muita gente reclamou (e ainda reclama até hoje) a troca de protogonistas que ocorre em Metal Gear Solid 2, quando para espanto do jogador, ele se vê no comando do novato de codinome Raiden e não mais do veterano Solid Snake!

Confesso que eu, assim como 99,9% dos fãs de Metal Gear, prefiro muito mais o carismático Solid Snake do que o “quase sem graça” Raiden, mas mesmo contando com um protagonista que não tem o mesmo charme do original, Metal Gear Solid 2 é um game tão bom, que continuaria sendo assim mesmo se tivesse o “cientista-mijão” Otacon como protagonista! Muitas melhorias no sistema de jogo foram feitas, o que ajudam a deixar o game bem mais divertido do que o original lançado em 1998 para o PlayStation One. Metal Gear Solid 2 é um game que realmente empolga até o fim!

Atualmente estou jogando o Yakuza 2, e estou curtindo. Mas futuramente eu falo mais sobre ele…

Games que terminei: Tales of the Abyss, Wolverine e Yakuza

Por: André Breder Rodrigues

Recentemente consegui terminar três games do PlayStation 2: Tales of the Abyss, Yakuza e X-Men Origins: Wolverine. Como eu já havia falado antes sobre o Tales of the Abyss por aqui, trata-se de um RPG de alto nível, que não fica devendo em nada para os seus concorrentes! Foram 57 horas e 45 minutos de jogatina para que eu conseguisse terminá-lo, e posso dizer que me diverti muito em cada minuto! Tales of the Abyss é um RPG que está no meu TOP pessoal com toda certeza!

Yakuza foi outro que me trouxe boas horas de diversão! É um game que faz você se sentir como se estivesse em um daqueles filmes de ação (leia-se: porrada) das décadas de 80 e 90, só que com um roteiro muito melhor! Levei um pouco mais de 13 horas para terminá-lo, e agora vou tentar comprar a sua sequência, que também foi lançada para o PlayStation 2, e que já vi pela internet afora muitos dizerem que se trata de um game ainda melhor que o original!

Fechando a trinca, tem o game X-Men Origins: Wolverine, um jogo que copiou na cara dura muito da jogabilidade já vista nos games da franquia God of War, mas sem conseguir repetir a fórmula com o mesmo brilhantismo da série da Sony. É como se fosse um God of War mais “econômico”: sem os cenários deslumbrantes, os puzzles inteligentes e a trilha sonora épica que fizeram o game de Kratos famoso no mundo inteiro. E ele é bem mais curto também, pois não devo ter demorado mais do que 6 ou 7 horas para términá-lo.

Dentre os três games citados, Yakuza e Tales of the Abyss são games inquestionavelmente excelentes dentro do gênero que ambos representam, e devem ser jogados! Já X-Men Origins: Wolverine é um jogo mais indicado para os fãs do mutante de garras de adamantium, ou para aqueles que não sejam tão exigentes, pois o jogo em si não é nada demais, apesar de eu tê-lo achado divertido.

Games que terminei: Zone of the Enders

Por: André Breder Rodrigues

Zone of The Enders é um game bem antigo do PlayStation 2 (lançado no ano de 2001) que eu conhecia até bem pouco tempo mais por nome, ainda mais por ter um “tal” de Hideo Kojima como produtor. Após ver em tantos fóruns por aí muitos gamers derramando elogios ao game, resolvi finalmente pegá-lo para jogar.

O game é interessante, colocando você no papel de Leo Stenbuck, um garoto que se vê obrigado a controlar um grande robô de combate para assim salvar sua própria pele em um futuro distante. Não é nada fora do normal, mas é sim um game original e divertido. O ponto mais bacana, que eu achei, foi sua história, mostrando não um protagonista “malzão” que sai matando os outros sem o menor remorso, mas uma alma pura que quer apenas sobreviver, sem que para isso tenha que tirar a vida de outro ser humano, mesmo ele sendo um ferrenho inimigo. A humanidade de Leo Stenbuck chega até a interferir no modo de agir do frio computador ADA. Bem, não vou ficar falando mais sobre a história para não soltar desagradáveis spoilers.

Outro destaque fica para os combates, que são literalmente eletrizantes! Terminei recentemente Zone of the Enders, e curti muito jogá-lo. Caso você que esteja lendo este post ainda não tenha jogado este game (que é uma prova cabal de que Hideo Kojima não sabe fazer somente jogos da franquia Metal Gear), dê uma chance para Zone of the Enders e faça você também uma viagem para o futuro!

Games que terminei: Resident Evil 4

Por: André Breder Rodrigues

Por incrível que pareça, Resident Evil 4 foi o primeiro jogo desta famosa franquia da Capcom que eu joguei na vida! Curto mais jogos de ação, e como ouvi falar que este quarto jogo da série era mais “tiros e chutes” do que “puzzles”, resolvi pegar a “bagaça” para jogar e ver se curtia o “negócio”. E não é que gostei da coisa!?

Bastou eu jogar algumas horas para ver que se tratava de um game bem divertido e assustador. Resident Evil 4 foi um jogo que me surpreendeu do começo ao fim, pois quando você acha que vai se deparar com os mesmos tipos de inimigos, eis que surgem novos para te deixar em apuros. Alguns puzzles também marcam a presença e ajudam a dar uma pausa na ação eletrizante, e muitas vezes estressante, do game.

Comecei a jogar Resident Evil 4 no dia 12 de Fevereiro deste ano e fui terminá-lo recentemente, mas precisamente no última quinta-feira, dia 23. Fui jogando-o de forma mais esporádica, alternando com o Tales of The Abyss, e após um pouco mais de 22 horas de jogatina pude ver o final feliz deste game. Futuramente irei falar mais profundamente sobre este game, escrevendo uma análise para o blog. Por ora, digo para aqueles que ainda não jogaram Resident Evil 4: joguem! Só tomem cuidado com o cara da moto-serra!


PlayStation 2 Imortal

Venha relembrar aqui os grandes clássicos do 128 bits da Sony!
agosto 2018
D S T Q Q S S
« ago    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031  

Blog Stats

  • 293.128 hits
Anúncios